Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Eid mubarakEid mubarak

Eid al Fitr significa, literalmente, "celebração do final do jejum", e acontece no primeiro dia do Shawwal, décimo mês do calendário islâmico. É uma das festas mais importantes do Islam, realizada após um mês de abstenção de todos os tipos de vícios e repleto de boas ações: o mês sagrado do Ramadan.

A cerimônia começa pela manhã com uma oração realizada na mesquita, que também pode acontecer em outros locais caso o espaço seja insuficiente. Para dar início, recita-se o Takbir, uma reza que louva a grandeza de Deus. Após a oração, os fiéis ouvem o sermão do Sheikh (khutba), e uma oração especial que pede perdão e ajuda a todos os muçulmanos do mundo.

Em países de maioria islâmica, a festa pode durar até três dias. Em alguns lugares é tradição que, após o período de orações, as pessoas se visitem e troquem presentes e a família almoce na casa do parente mais velho. A essência da festividade é que cada muçulmano congregue com sua família e a comunidade, exercitando a generosidade e o perdão.

O fascinante Irã

Postado 2016/11/08
Um país onde a herança dos antigos persas convive com a dinamicidade de cidades como Teerã
 
 
 
Um destino ainda pouco explorado pelos turistas ocidentais, o Irã reserva belas paisagens e lugares históricos. E há muitos motivos para conhecer o país, que é o lar de uma das civilizações mais antigas do mundo, que começa com a formação do reino de Elam em 2800 a.C. A história escrita da Pérsia começa em cerca de 3200 a.C. com a cultura proto-elamita e com a posterior chegada dos arianos e a formação dos sucessivos Impérios Medo e Aquemênida. O maior império do mundo antigo, a invasão árabe, os tapetes, a suntuosidade da dinastia Pahlavi (mais conhecido como os Xás) e a revolução islâmica. Tudo isso é o fascinante Irã.
 
 
Sendo um país geograficamente diverso, mas principalmente montanhoso, o Irã sempre teve uma importância geopolítica significativa devido à sua localização, no cruzamento entre o Sul, o Centro e o Ocidente da Ásia. O Irão ou Irã, oficialmente República Islâmica do Irão/Irã e anteriormente conhecido como Pérsia, está localizado na Ásia Ocidental, é a segunda maior nação do Oriente Médio, a 18ª maior do mundo e o segundo maior produtor de petróleo da região. O país possui oito sítios classificados pela UNESCO como Património Mundial: Meidan Emam - praça de Abas I em Isfahan; Persépolis - antiga capital do Império persa, fundada por Dário I em 518 a.C.; Tchogha Zanbil - capital religiosa do reino elamita fundada em 1250 a.C. e que é hoje um sítio arqueológico; Bam e a sua paisagem cultural - cidade do período aqueménida fundada entre o século VI e o século IV a.C. (os seus monumentos foram danificados devido ao terramoto de 2003); Pasárgada - capital do Império Aqueménida cujo nome significa "Campo dos Persas" e foi a capital do Império Persa, um dos maiores que o mundo já viu (Manuel Bandeira se inspirou na antiga capital para criar a utópica cidade que até hoje permeia a imaginação de muitos brasileiros); Takht-e Soleyman - sítio arqueológico onde se encontram ruínas arqueológicas, como um templo sassânida dedicado à deusa Anahita; Soltaniyeh e Bisotun. À medida que se visitam cidades como Esfahan ou Tabriz, nos Montes Zagros, ou os desertos de Kerman, um Irã desconhecido vai se revelando.
 
 
 
Na verdade, o Irã tem de tudo: montanhas, cavernas, matas, mar e deserto. Teerã é a sua capital e da província homónima assim como sua maior cidade, servindo como o centro cultural, financeiro e industrial da nação. No inverno é possível esquiar nos arredores de Teerã e durante todo o ano você pode fazer trekking nas montanhas, acampar perto de uma cachoeira ou nadar nas praias do sul do país, litoral do golfo Pérsico. Na ilha Kish por exemplo não existe restrições do governo e não é preciso solicitar visto.
 
 
 
O Irã é uma potência média e regional e exerce uma grande influência na segurança energética internacional e na economia mundial através das suas grandes reservas de combustíveis fósseis, que incluem a maior oferta de gás natural no mundo e a quarta maior reserva comprovada de petróleo. Diferente do que muita gente imagina, o Irã é um dos lugares mais seguros para viajar, muito mais até do que a maioria dos países europeus. Furtos e outros crimes são raros e famílias aproveitam para se reunir em parques da cidade até altas horas da madrugada. Não podemos acreditar em tudo que lemos na mídia. Temos que saber diferenciar os países do Oriente Médio. Por lá, há surpresas que irão contradizer a imagem assustadora que o Irã tem ao redor do globo (não confundir a República Islâmica com o Estado Islâmico. Os dois são inimigos).
 
 
 
Desde 2012 é Embaixador da República Islâmica do Irã no Brasil o sr. Mohammad Ali Ghanezadeh Ezabadi (foto acima) e a Embaixada  da  República  Islâmica  do  Irã está localizada em Brasília, na Av. das Nações, Qd. 809, Lote 31. Há ainda, no Brasil, outras entidades que representam o Irã com suas tradições e culturas histórias. Presidida por Romana Dovganyuk (foto abaixo), a Câmara de Comércio e Indústria Brasil – Irã, fundada em 15 de setembro de 2003, a entidade sediada no Rio de Janeiro atua como um agente de incentivo à cooperação entre as autoridades competentes e associações empresariais dos dois países. Seus objetivos são os de prestar assistência a seus sócios nos assuntos pertinentes ao relacionamento comercial, industrial, técnico e financeiro entre Brasil e Irã, fornecendo informações que facilitem a conclusão dos negócios entre os dois países.
 
 
 
As principais atividades da Câmara de Comércio e Indústria Brasil – Irã(afiliada com a Associação Comercial do Rio de Janeiro – ACRJ, a mais antiga entidade de representação civil do país cumprindo o papel de ser o melhor lugar do Rio de Janeiro para fazer negócios e com a Federação das Câmaras de Comércio Exterior – FCCE, a mais antiga associação de classe no Brasil dedicada exclusivamente às atividades do comércio exterior), incluem congregar pessoas físicas ou jurídicas interessadas no intercâmbio industrial e comercial, sugerindo e propondo as medidas necessárias para a melhor solução e atendimento aos interesses de ambos os países. 
 
 
 
A presidente e diretores da Câmara de Comércio e Indústria Brasil – Irã, em festividade na Casa do Irã, entre outras autoridades, como o acadêmico e comendador Mauro Pereira de Lima Câmara e o advogado Maurílio Patrício.
 
Somado a isso, a entidade preza por promover o entendimento e a cooperação entre o Brasil e o Irã, para favorecer a indústria e o comércio em termos tecnológicos, científicos, econômicos e culturais, visando estreitar e desenvolver os laços com a república islâmica. 
 
 
 
Viajar para o Irã é conhecer a fundo um país que possui um povo fascinante, que conserva antigas e sofisticadas tradições. Então, vale a pena conhecer o Irã e desfrutar do convívio de sua gente, respirando sua bela cultura. Afinal, o turista nunca vai ver nada parecido com a hospitalidade persa. Os convites para dormir nas casas das pessoas, almoçar, viajar, fazer piquenique ou qualquer outra coisa virão de todos os lados, o tempo inteiro. Os iranianos não te deixarão pagar pela sua passagem de ônibus, pelo táxi, pela comida ou pela entrada de uma atração. E não adianta discutir, porque faz parte da cultura. Os visitantes no Irã são quase sagrados. E apesar das rusgas com os americanos, o território iraniano está hoje cheio de pessoas estudando inglês e ávidas por receber o visitante com uma hospitalidade inigualável.
 
 
 
Ah, existe uma grande curiosidade envolvendo Irã e Brasil, mais precisamente com Abadan, que é uma cidade ao sul do país, na fronteira com o Iraque, que acredita pertencer ao Brasil. Tudo começou na década de 1970, antes da Revolução Islâmica. O técnico do time de futebol de Abadan gostou tanto da performance da nossa seleção na Copa do Mundo que resolveu adotar o uniforme e as estratégias de jogo brasileiras. A população incorporou a ideia e dizem pertencer ao Brasil. 
Polêmico e intrigante o Irã ainda desperta em muitos a imagem da guerra ou do terror. Muito, mas muito longe disso é um lugar de muita poesia, de extrema receptividade do seu povo e de uma história de riqueza e poder que atravessou milênios e ainda hoje se mantém viva. Então, fica um convite para os leitores e turistas conhecerem um pouco mais sobre o Irã, um local onde se vai, em poucas horas, das ruínas de 2.500 anos de Persépolis às mais lindas mesquitas do planeta, passando pela história de impérios que marcaram a história da Ásia e do mundo.